Pai de Britney Spears perde curatela do patrimônio da cantora

Pai de Britney Spears perde curatela do patrimônio da cantora

A juíza Brenda Penny, do Tribunal Superior do Condado de Los Angeles, decidiu, ontem (29/9), destituir o pai de Britney Spears, Jamie Spears, da responsabilidade de exercer a curatela da cantora. Foi mais uma batalha judicial vencida por Britney Spears contra a “curatela abusiva do pai”, como ela classificou em uma audiência em junho.

A disputa judicial da cantora contra a curatela pode ser dividida em quatro atos. O último está marcado para 31 de dezembro de 2021, data da audiência em que a juíza vai decidir se deve libertar de vez a cantora da curatela que já dura 13 anos (que poderá ser protelada a pedido das partes).

No primeiro ato, em 2019, o tribunal afastou o pai da função de curador da pessoa física (e mental) da cantora. Essa responsabilidade foi transferida para a curadora profissional Jodi Montgomery. O pai manteve a responsabilidade de exercer a curatela de seu patrimônio, avaliado em US$ 60 milhões, bem como de sua carreira profissional.

No segundo, em julho deste ano, o tribunal permitiu à cantora contratar um advogado de sua escolha. Até então, ela era representada por um advogado apontado pela corte, contra sua vontade. Após essa decisão, ela contratou o advogado Mathew Rosengart que, frequentemente, representa estrelas de Hollywood.

A pedido de Rosengart e com a aprovação da cantora — e sob os protestos do pai — a curatela do patrimônio e da carreira de Britney Spears foi transferida para John Zabel, um contador com alguma experiência em curatela.

A audiência para liberar Britney Spears definitivamente da curatela foi marcada para o último dia do ano — ou para algum tempo do próximo, para dar tempo ao advogado, à curadora da pessoa física e ao novo curador do patrimônio da cantora para preparar um plano, argumentos e provas que justifiquem o fim da curatela.

Ainda não se sabe quem será a parte adversária nessa audiência, uma vez que semanas antes da última decisão, os advogados do pai de Britney Spears protocolaram uma petição no tribunal, em que o próprio Jamie Spears pedia sua retirada da curatela.

O advogado Mathew Rosengart declarou a órgãos de imprensa, como a NBC News, Fox, Daily Mail e NPR (National Public Radio), que ele fez isso para evitar o vexame de expor ainda mais seu passado de alcoólatra e viciado em jogos de azar. Funcionou, porque não chegou a acontecer uma disputa nessa última audiência, em que ele foi substituído por outro curador.

Deixaram também de ser reforçadas as alegações de que ele explorava a filha financeiramente, obrigando-a a fazer shows contra sua vontade e até mesmo doente, para ganhar comissões, além de fazer retiradas em dinheiro mais altas do que as que concedia à filha e de desfrutar de certas mordomias.

Em sua petição à corte, Rosengart disse que a substituição do pai de Britney Spears “foi um primeiro passo necessário para se chegar ao fim desse pesadelo kafkiano que foi imposto a sua filha”.

Depois das batalhas judiciais, virá uma recompensa legislativa. Um projeto de lei que propõe a reforma do sistema de curatela e tutela no país, que foi apresentado ao Congresso dos EUA em 2018, mas nunca decolou, ganhou força nos últimos meses, por causa de um fator, segundo a NPR: Britney Spears.

Agora o PL se tornou uma prioridade bipartidária, reunindo apoio tanto de parlamentares mais liberais do Congresso, como a democrata Elizabeth Warren, quanto dos mais conservadores, como o republicano Ted Cruz.

A deputada Nancy Mace, que está entre os proponentes do novo projeto, declarou: “Sem dúvida, a curatela protege inúmeros americanos vulneráveis contra abusos, mas o caso de Britney Spears revela um lado tenebroso desse sistema”.

 

Crédito: Conjur

Leia mais

No Amazonas, beijos na boca de criança sugerem estupro de vulnerável e não importunação sexual

Pedro Silva de Braga foi denunciado pelo Ministério Público de São Gabriel da Cachoeira pela prática do crime de estupro de vulnerável porque praticou...

Surdez unilateral não concede vaga em concurso a pessoa com deficiência no Amazonas

O portador de surdez unilateral não se qualifica como pessoa com deficiência para o fim de disputar as vagas reservadas em concursos públicos assim...

Mais Lidas

Justiça do Amazonas garante o direito de mulher permanecer com o nome de casada após divórcio

O desembargador Flávio Humberto Pascarelli, da 3ª Câmara Cível...

Professora de Manaus ganha direito a indenização por contrato temporário que excede prazo de 2 anos

Nos autos do processo nº 0665343-39.2019.8.04.0001 que tramitou na...

Gratificação de motorista de viatura Militar no Amazonas se aplica ao soldo, decide Tribunal

Nos autos do processo nº 0244691-47.2011, em julgamento de...

Últimas

Em Santa Catarina, homem é condenado por desacato ao ofender enfermeira através das redes sociais

O Tribunal de Justiça de Santa Catarina condenou um homem a seis meses de detenção, em regime semiaberto, por...

Dano moral a mulher que, barrada na alfândega por Covid, teve mala extraviada em Roma

Uma mulher que teve sua bagagem extraviada após não conseguir entrar na Itália, em face das restrições impostas pela...

Conselheiro do TCE-AM vai ministrar palestra em curso promovido pelo TJAM

O conselheiro-ouvidor do Tribunal de Contas do Amazonas (TCE-AM), Érico Desterro, participará do ciclo de palestras promovido pela Escola...

No Amazonas, beijos na boca de criança sugerem estupro de vulnerável e não importunação sexual

Pedro Silva de Braga foi denunciado pelo Ministério Público de São Gabriel da Cachoeira pela prática do crime de...