União estável autoriza direito a pensão por morte do companheiro assegura Tribunal do Amazonas

União estável autoriza direito a pensão por morte do companheiro assegura Tribunal do Amazonas

No Regime Geral da Previdência Social admite-se o benefício da pensão por morte que será pago pelo Instituto do Seguro Social aos dependentes do segurado que veio a óbito. São considerados dependentes pela Lei 8.213/91 o companheiro ou a companheira que vivam em união estável. Daí o julgamento da apelação formulada por Rosicleide dos Santos Ramos ter sido julgada procedente, com seu provimento, em desfavor da Previdência local, no caso o Fundo Previdenciário do Estado do Amazonas-AmazonPrev. A decisão consta nos autos do processo 0641796-04.2018 e foi relator Elci Simões de Oliveira na Segunda Câmara Cível do Egrégio Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas, em julgamento que por unanimidade de votos  conhecido e provido pelos integrantes da Câmara.

Para quem vive em união estável é possível, o recebimento da pensão por morte do companheiro(a). Essa união estável deve ser comprovada e podem ser utilizados alguns documentos tais como certidão de nascimento de filho no qual conste o nome dos pais, conta bancária conjunta, comprovante de endereço com mesma residência, plano de saúde em comum, e outros que convierem. 

A dependência econômica tem amparo no direito de família, que estabelece entre os cônjuges o dever de mútua assistência e, para tanto, são obrigados a concorrer com os proventos do rendimento do trabalho e na proporção de seus bens para o sustento da família. 

No julgamento da apelação estabeleceu-se que “a dependência econômica do cônjuge e do companheiro são presumidas, de sorte que sua habilitação prescinde da produção de qualquer espécie de prova além do vínculo conjugal”

O Recurso foi conhecido e provido pela Segunda Câmara Cível.

Veja o acórdão

Loader Loading...
EAD Logo Taking too long?

Reload Reload document
| Open Open in new tab

Baixar arquivo [104.11 KB]

Leia mais

Provado o latrocínio tentado com o testemunho da vítima do assalto, mantém-se condenação em Manaus

Bruno Tafaréu Gonçalves Figueiredo foi condenado ante a 6ª. Vara Criminal de Manaus por haver tentado a subtração de coisa alheia móvel mediante violência...

Confusão de fundamentos jurídicos impedem conhecimento de Reclamação Constitucional pelo TJAM

Em reclamação constitucional proposta por Maria Ocilene Sena Cruz contra a Segunda Turma Recursal do Juizado Especial Cível do Amazonas, a autora indicou descumprimento...

Mais Lidas

Justiça do Amazonas garante o direito de mulher permanecer com o nome de casada após divórcio

O desembargador Flávio Humberto Pascarelli, da 3ª Câmara Cível...

Professora de Manaus ganha direito a indenização por contrato temporário que excede prazo de 2 anos

Nos autos do processo nº 0665343-39.2019.8.04.0001 que tramitou na...

Gratificação de motorista de viatura Militar no Amazonas se aplica ao soldo, decide Tribunal

Nos autos do processo nº 0244691-47.2011, em julgamento de...

Últimas

TST reconhece natureza salarial do direito de imagem de jogador do Coritiba Foot Ball Club

A Subseção I Especializada em Dissídios Individuais (SDI-1) do Tribunal Superior do Trabalho reconheceu a natureza salarial da parcela...

TST decide que causas múltiplas de lesão na coluna não afastam direito de empregado à estabilidade

A Quarta Turma do Tribunal Superior do Trabalho reconheceu o direito de um auxiliar de produção despedido pela Cimento...

STJ confirma corte de candidata cotista por comissão formada após homologação do concurso

Por considerar válida a aferição das características dos candidatos em cota racial realizada quatro anos após a publicação do...

Provado o latrocínio tentado com o testemunho da vítima do assalto, mantém-se condenação em Manaus

Bruno Tafaréu Gonçalves Figueiredo foi condenado ante a 6ª. Vara Criminal de Manaus por haver tentado a subtração de...