Inimputabilidade de índio está relacionada à integração, decide desembargador do Amazonas

Inimputabilidade de índio está relacionada à integração, decide desembargador do Amazonas

A situação jurídica dos índios ou silvícolas e das comunidades indígenas é regulada pelo estatuto do índio, a lei n° 6.001, de 19 de dezembro de 1973, e tem o propósito de integrá-los, progressiva e harmoniosamente, à comunhão nacional. A lei considera três grupos de índios: a) Os isolados; b) Aqueles que estão em vias de integração e os integrados.

Os integrados são os que pela própria definição legal estão incorporados à comunidade nacional e reconhecidos no pleno exercício dos direitos civis, ainda que conservem usos, costumes e tradições característicos da sua cultura.

Quando se trata de crime praticados por indígenas, o estatuto do índio é ressonante ao determinar que os índios e as comunidades indígenas ainda não integrados à comunhão nacional ficam sujeitos ao regime tutelar da Lei 6001/1973.

Com essa orientação, o desembargador da Primeira Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas, José Hamilton Saraiva dos Santos, no processo n° 0000339-39.2017.8.04.6900, da Vara única de São Gabriel da Cachoeira, ao conhecer recurso de apelação criminal – quando o condenado não se conforma com a decisão do juiz de primeira instância – rejeitou a tese da inimputabilidade penal.

O recurso, embora conhecido, foi desprovido – julgado improcedente – sem alteração da sentença.

Dispôs o relator, seguido à unanimidade, que: “O Estatuto do Índio só é aplicável ao indígena que ainda não se encontra integrado à comunhão e cultura nacional, o que não é o caso. No presente caso, denota-se que a apelante está perfeitamente adaptada à sociedade, tendo suficiente compreensão dos usos e costumes nacionais, possuindo fluência na língua portuguesa, circunstância que reforça a sua plena integração social. No que concerne ao pedido recursal de que seja aplicada a pena do art. 33 da Lei 11.343/2006, no mínimo legal, resta prejudicada a análise da referida tese, uma vez que a sentença fixou a pena no mínimo legal.”

Veja o teor da decisão

Loader Loading...
EAD Logo Taking too long?

Reload Reload document
| Open Open in new tab

Baixar arquivo [144.42 KB]

Leia mais

TJAM diz que ordem judicial para retirada de matéria de site é censura prévia

Ao examinar e julgar autos de recurso de agravo de instrumento interposto por Revista Cenarium contra decisão interlocutória da 12ª. Vara Cível de Manaus,...

Paternidade não pode ser rescindida por falta de intimação pessoal para audiência em Manaus

Na ação Rescisória proposta por R.C.R contra Mirela Brito Reis e Milena de Souza Brito, nos autos de processo 4007638-33.2020, julgou-se improcedentes os pedidos...

Mais Lidas

Justiça do Amazonas garante o direito de mulher permanecer com o nome de casada após divórcio

O desembargador Flávio Humberto Pascarelli, da 3ª Câmara Cível...

Professora de Manaus ganha direito a indenização por contrato temporário que excede prazo de 2 anos

Nos autos do processo nº 0665343-39.2019.8.04.0001 que tramitou na...

Gratificação de motorista de viatura Militar no Amazonas se aplica ao soldo, decide Tribunal

Nos autos do processo nº 0244691-47.2011, em julgamento de...

Últimas

MPAM discute com SSP e Seai o combate ao crime organizado no Amazonas

Na tarde do dia 14/10, o Ministério Público do Amazonas (MPAM) participou de reunião de trabalho com o Secretário...

TJAM diz que ordem judicial para retirada de matéria de site é censura prévia

Ao examinar e julgar autos de recurso de agravo de instrumento interposto por Revista Cenarium contra decisão interlocutória da...

Paternidade não pode ser rescindida por falta de intimação pessoal para audiência em Manaus

Na ação Rescisória proposta por R.C.R contra Mirela Brito Reis e Milena de Souza Brito, nos autos de processo...

Promessa de compra e venda de imóvel em Manaus não cumprida no prazo, gera rescisão com juros

O Tribunal de Justiça do Amazonas tem mantido decisões que acolhem pedidos de consumidores por rescisão unilateral de contrato...