Homem que ofereceu carona e estuprou adolescente a caminho da escola em Barreirinha-Am é condenado

Homem que ofereceu carona e estuprou adolescente a caminho da escola em Barreirinha-Am é condenado

Nos autos do processo nº0000395-28.2018.8.04.2700, Josinaldo Souza Teixeira recorreu de sentença condenatória que lhe condenou a 8 (oito) aos e 6 (seis) meses de prisão em regime fechado, pela prática do crime de estupro por determinação do juiz da Vara Única da Comarca de Barreirinha, no Amazonas. Consta nos autos que a vítima e testemunhas relataram detalhes importantes sobre a conduta do acusado, que, em apelação, insistiu em levar ao Poder Judiciário que não havia provas suficientes para a condenação. Em segunda instância, a sentença foi mantida, com o reconhecimento de que a pena deverá permanecer inalterada, face a comprovação da autoria e materialidade delitivas, com o depoimento firme e categórico da vítima, alinhado a outras provas constantes nos autos. 

Em voto condutor, a Desembargadora Vânia Maria Marques Marinho, relata que sendo aptas as provas produzidas em sede policial e confirmadas em juízo equivalem a qualquer outro meio de prova, sendo aptas a embasar uma condenação criminal, desde que de maneira fundamentada, como o que ocorrera na espécie apreciada e julgada.

“Dessa maneira, não subsiste a tese de absolvição do Apelante em virtude de insuficiência de provas da autoria do delito, porquanto a vítima foi coesa em sua narrativa, pois, a todo momento no curso da instrução afirmou, com riqueza de detalhes, a forma com que o crime se perfez”.

“Por ser seu vizinho, o apelante ofereceu-lhe carona, quando estava indo fazer um trabalho na escola e que, após ter aceitado, o apelante desviou o caminho e a levou para uma casa isolada, onde a estapeou, puxou seu cabelo e a estuprou”. A decisão fixou que a narrativa da vítima harmonizou-se com outros testemunhos, mormente o da irmã e prima da vítima, que alegaram terem, também, sido vítimas do acusado/recorrente.

Leia o acórdão

 

Leia mais

Direito à informações é prerrogativa da Defensoria Pública do Amazonas

Ter acesso às informações que são requisitadas dos órgãos públicos é prerrogativa constitucional da Defensoria Pública do Amazonas, mormente porque a Instituição atua na...

Para TJAM, havendo grave comprometimento da ordem pública não há espaço para a liberdade

Célio Domingos da Silva teve pedido de habeas corpus negado pela Desembargadora Carla Maria Santos dos Reis nos autos do processo nº 4004745-35.2021.8.04.0000, mantendo-se...

Mais Lidas

Justiça do Amazonas garante o direito de mulher permanecer com o nome de casada após divórcio

O desembargador Flávio Humberto Pascarelli, da 3ª Câmara Cível...

Diagnóstico unilateral sobre medição de contadores pela Amazonas Energia é vexatório a consumidor

A concessionária de energia elétrica Amazonas Energia não pode...

Homem que ofereceu carona e estuprou adolescente a caminho da escola em Barreirinha-Am é condenado

Nos autos do processo nº0000395-28.2018.8.04.2700, Josinaldo Souza Teixeira recorreu...

Últimas

Pai, madrasta e avó são condenados pelo Conselho de Sentença no TJRO

Terminou em condenação para os três acusados de matar por espancamento e tortura a menina Lauanny Hester Rodrigues, na...

Juiz não está impedido de atuar em processo que tem parte instituição que exerce magistério

A 5ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) julgou prejudicado o incidente de impedimento de um...

TRF1: É constitucional a fixação de taxa para expedição de ART pelo conselho profissional

A 7ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) decidiu pela legitimidade da fixação de valor da...

STJ mantém prisão de PM acusado pela morte de criança de cinco anos durante patrulhamento no RJ

O ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Ribeiro Dantas, em decisão monocrática, manteve a prisão do policial militar...