Estado do Amazonas é condenado a multa diária em caso de descumprimento de ordem judicial

Estado do Amazonas é condenado a multa diária em caso de descumprimento de ordem judicial

Nos autos do processo nº 0643076-15.2015, o Estado do Amazonas recorreu da decisão do Juízo da 5ª. Vara da Fazenda Pública não se conformando com a determinação, pelo magistrado, de que os herdeiros de paciente cujo óbito decorreu no curso do procedimento viessem a executar multa imposta por não cumprimento de medida judicial determinativa de tratamento cirúrgico. O magistrado concedera a Administração Pública local o prazo de 72 horas, sob pena de multa diária de R$ 3.000,00 (três mil) reais, com limitação de 30 (trinta) dias, caso não cumprisse a determinação de realização de tratamento cirúrgico endovascular em caráter urgente. O prosseguimento da execução pelos sucessores do paciente não agradou ao Recorrente, mas o apelo restou improvido, porque o Desembargador Airton Luís Corrêa Gentil, assim como o magistrado de piso, lavrou entendimento que a multa e sua execução fora razoável e justa.

Em ação cominatória de obrigação de fazer com tutela deferida na origem, a fixação de multa diária limitada a 30 dias dias por cumprimento extemporâneo da medida revela-se em multa justa e razoável. A execução da multa pelos herdeiros não encontra barreiras legais, sintetizou o acórdão.

“O de cujus era portador de aneurisma de aorta abdominal e necessitava de tratamento cirúrgico endovascular com prótese ramificada em caráter urgente, o que foi determinado pelo juízo de piso em dezembro de 2015, para cumprimento no prazo de 72 horas, sob pena de multa diária”.

“A multa diária, também denominada de astreintes, tem como objetivo induzir o réu a cumprir a ordem judicial, somente sendo aplicada em caso de descumprimento. A obrigação principal para a realização da cirurgia é de caráter personalíssimo, enquanto as astreintes fixadas para seu cumprimento são obrigação acessória, sendo possível o prosseguimento da execução pelos sucessores da parte demandante falecida no curso da lide’.

Leia o acórdão

Loader Loading...
EAD Logo Taking too long?

Reload Reload document
| Open Open in new tab

Baixar arquivo [171.29 KB]

 

Leia mais

No Amazonas, beijos na boca de criança sugerem estupro de vulnerável e não importunação sexual

Pedro Silva de Braga foi denunciado pelo Ministério Público de São Gabriel da Cachoeira pela prática do crime de estupro de vulnerável porque praticou...

Surdez unilateral não concede vaga em concurso a pessoa com deficiência no Amazonas

O portador de surdez unilateral não se qualifica como pessoa com deficiência para o fim de disputar as vagas reservadas em concursos públicos assim...

Mais Lidas

Justiça do Amazonas garante o direito de mulher permanecer com o nome de casada após divórcio

O desembargador Flávio Humberto Pascarelli, da 3ª Câmara Cível...

Professora de Manaus ganha direito a indenização por contrato temporário que excede prazo de 2 anos

Nos autos do processo nº 0665343-39.2019.8.04.0001 que tramitou na...

Gratificação de motorista de viatura Militar no Amazonas se aplica ao soldo, decide Tribunal

Nos autos do processo nº 0244691-47.2011, em julgamento de...

Últimas

Em Santa Catarina, homem é condenado por desacato ao ofender enfermeira através das redes sociais

O Tribunal de Justiça de Santa Catarina condenou um homem a seis meses de detenção, em regime semiaberto, por...

Dano moral a mulher que, barrada na alfândega por Covid, teve mala extraviada em Roma

Uma mulher que teve sua bagagem extraviada após não conseguir entrar na Itália, em face das restrições impostas pela...

Conselheiro do TCE-AM vai ministrar palestra em curso promovido pelo TJAM

O conselheiro-ouvidor do Tribunal de Contas do Amazonas (TCE-AM), Érico Desterro, participará do ciclo de palestras promovido pela Escola...

No Amazonas, beijos na boca de criança sugerem estupro de vulnerável e não importunação sexual

Pedro Silva de Braga foi denunciado pelo Ministério Público de São Gabriel da Cachoeira pela prática do crime de...