Médico é condenado após cobrar paciente por cirurgia garantida pelo SUS em SP

Médico é condenado após cobrar paciente por cirurgia garantida pelo SUS em SP

Por constatar a autoria do crime e a reincidência da conduta, a 5ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo condenou, pelo crime de corrupção passiva, um médico da rede pública de saúde a dois anos e oito meses de prisão em regime semiaberto, 13 dias-multa e à perda do cargo que ocupava.

De acordo com os autos, o réu cobrou R$ 2,2 mil de uma paciente grávida por um procedimento cirúrgico de laqueadura, que é custeado pelo SUS. Após a negativa da paciente, o médico se recusou a fazer a cirurgia, que foi executada mais tarde por outro profissional da rede pública.

O homem já havia sido condenado pela 1ª Vara de Itápolis (SP). O TJ-SP manteve a sentença.

O desembargador Mauricio Henrique Guimarães Pereira Filho, relator do recurso, indicou que o médico “não logrou apresentar justificativa plausível e factível capaz de infirmar a robusta prova amealhada aos autos”. Ele explicou que o crime de corrupção passiva consistiu na solicitação de vantagem indevida à vítima.

O magistrado se valeu das mesmas razões que o juiz para a dosimetria da pena: a culpabilidade exacerbada do crime e do agente que a praticou, além dos maus antecedentes. “Pelos mesmos motivos, inviável a substituição da pena privativa de liberdade por restritivas de direitos”, acrescentou. Com informações da assessoria de imprensa do TJ-SP.

Fonte: Conjur

Leia mais

Liminar suspende execução de Medição Centralizada da Amazonas Energia

A circunstância de que seja concessionária de serviço público, especialmente na prestação de produto essencial de energia elétrica  da Amazonas Energia, e, na conclusão...

A concessão de Habeas Corpus de ofício pelo TJ/Amazonas exige flagrante ilegalidade na prisão

A concessão de Habeas Corpus de ofício pelo Tribunal exige que seja constatada a flagrante ilegalidade na constrição cautelar daquele que foi privado de...

Mais Lidas

Justiça do Amazonas garante o direito de mulher permanecer com o nome de casada após divórcio

O desembargador Flávio Humberto Pascarelli, da 3ª Câmara Cível...

TJAM: União Estável proporciona direito a pensão por morte do companheiro sobrevivente

Em matéria de direito previdenciário nos autos do processo...

Diagnóstico unilateral sobre medição de contadores pela Amazonas Energia é vexatório a consumidor

A concessionária de energia elétrica Amazonas Energia não pode...

Últimas

TRF1 diz que cabe ao Poder Público o fornecimento de insumos para terapia com óleo de Cannabis

Óleo derivado da Cannabis deve ser fornecido pelo Poder Público em terapia de uma paciente acometida de doença neurodegenerativa...

Bolsonaro deve se defender em 2 dias da acusação de ter feito campanha antecipada

Na última segunda-feira (17/1), o ministro Alexandre de Moraes, na condição de membro do Tribunal Superior Eleitoral, determinou a citação do...

Em Goiás, mulher que encontrou corpo estranho em molho de tomate será indenizada

Goiás  - O juiz Carlos Gustavo Fernandes de Morais, do Juizado Especial Cível da comarca de Luziânia-GO, condenou a...

Vítima de acidente de trânsito no DF deverá ser indenizada por danos materiais e morais

Distrito FederalJuiz do 1º Juizado Especial Cível de Taguatinga condenou a proprietária e o condutor de um veículo e...