Juizado representa TJAM em capacitação visando Ronda Maria da Penha em Presidente Figueiredo

Juizado representa TJAM em capacitação visando Ronda Maria da Penha em Presidente Figueiredo

O 1.° Juizado Especializado no Combate à Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher (“1.º Juizado Maria da Penha”) do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) realizou no período de 13/09 a 17/09 uma capacitação para policiais militares e civis, guardas municipais e demais integrantes de rede de apoio à mulher para implantação do Programa Ronda Maria da Penha em Presidente Figueiredo (a 107 quilômetros da capital).

No evento, ocorrido na sede da Prefeitura de Presidente Figueiredo, o 1º Juizado Maria da Penha foi representado pela assistente social da Coordenadoria Psicossocial Judiciária do TJAM e representante do 1º Juizado Maria da Penha, servidora Celi Cristina Nunes Cavalcante, que foi uma das palestrantes da capacitação a exemplo da delegada titular da Delegacia Especializada em Crimes contra a Mulher (DECCM), de Manaus, Débora Mafra.

Cerca de 60 integrantes da Rede de Apoio à Mulher participaram das atividades na “Terra das Cachoeiras”, como é conhecida a cidade. Semelhante como ocorre em Manaus, o Programa Ronda Maria da Penha em Presidente Figueiredo visa o acompanhamento das mulheres em situação de violência.

“Minha apresentação foi no sentido de aprofundar as reflexões sobre a desigualdade de gênero e oferecer algumas orientações sobre estratégias de acolhimento e prevenção à violência institucional. No dia 27 serão iniciadas efetivamente as Rondas Maria da Penha em Presidente Figueiredo”, informou a assistente social Celi Cristina Nunes Cavalcante.

“A importância dessa capacitação se dá para que o enfrentamento à violência contra mulher no Município de Presidente Figueiredo ocorra de forma mais capacitada e articulada, pois a partir do conhecimento, o acolhimento e a proteção das mulheres poderão ser melhor oferecidos pelos agentes que atuarão tanto na parte das polícias e guarda, como na Rede de Apoio”, destaca ela.

Fonte: Asscom TJAM

Leia mais

No Amazonas, militar que responde processo não tem direito ao afastamento para reserva remunerada

O Militar que responde inquérito ou processo em qualquer jurisdição não tem direito ao afastamento para a reserva remunerada, assim concluiu o Pleno do...

Violência Doméstica: Homem é condenado pelo TJAM por ameaçar atear fogo em casa

Luís Carlos Moreira Maciel foi condenado ante o juízo da Vara Única de Nova Olinda do Norte após ser julgada procedente ação penal promovida...

Mais Lidas

Justiça do Amazonas garante o direito de mulher permanecer com o nome de casada após divórcio

O desembargador Flávio Humberto Pascarelli, da 3ª Câmara Cível...

Professora de Manaus ganha direito a indenização por contrato temporário que excede prazo de 2 anos

Nos autos do processo nº 0665343-39.2019.8.04.0001 que tramitou na...

Gratificação de motorista de viatura Militar no Amazonas se aplica ao soldo, decide Tribunal

Nos autos do processo nº 0244691-47.2011, em julgamento de...

Últimas

TJSC diz que empresa não poderá negativar noivos que cancelaram festa em razão da Covid

Santa Catarina - Entre as inúmeras relações contratuais impactadas pela Covid-19, a indústria do casamento não foi exceção. Abalado...

Casal acusado de torturar filha de sete meses tem prisão preventiva decretada no Rio de Janeiro

Rio de Janeiro - Em audiência de custódia realizada no domingo (24/10), a juíza Ariadne Villela Lopes converteu em...

Acusado de espancar idoso em via pública no Distrito Federal é condenado a 37 anos de prisão

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios condenou Gabriel Ferreira de Souza Vidal a 37 anos e...

No Amazonas, militar que responde processo não tem direito ao afastamento para reserva remunerada

O Militar que responde inquérito ou processo em qualquer jurisdição não tem direito ao afastamento para a reserva remunerada,...