Deputada estadual de Sergipe tem mandato cassado por abuso de poder político e econômico

Deputada estadual de Sergipe tem mandato cassado por abuso de poder político e econômico

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) acolheu pedido do Ministério Público Eleitoral para cassar o mandato da deputada estadual de Sergipe Maria Valdiná Almeida. A Corte também manteve inelegíveis a parlamentar e seu marido, Diógenes Almeida, ex-prefeito de Tobias Barreto (SE). O casal foi acusado de abuso de poder político e econômico, após investigação conduzida pelo MP Eleitoral. Nesta terça-feira (21), o TSE acolheu, por maioria, o parecer do órgão e negou os recursos apresentados pelos políticos que pretendiam reverter as sanções aplicadas pelo Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe (TRE/SE).

Os políticos foram condenados por utilizarem a estrutura administrativa do município de Tobias Barreto (SE) em 2018, quando Diógenas Almeida era prefeito, para alavancar a campanha de Valdiná ao Legislativo estadual. Além de vincular as cores e o slogan da prefeitura na campanha eleitoral, o governo municipal promoveu eventos e prometeu à população casas do programa “Minha Casa Minha Vida”, com fins eleitoreiros. Em parecer enviado ao TSE, o MP Eleitoral reforçou que o acervo probatório demonstra clara prática de abuso de poder político, sendo “inequívoco o desvio de finalidade na ação administrativa com a intenção de promover a candidatura da deputada estadual”.

As investigações conduzidas pelo Ministério Público também demonstraram irregularidades na arrecadação de recursos de campanha, que eram feitos por meio de “laranjas”para encobrir os verdadeiros doadores. Pessoas físicas ligadas ao Executivo e ao Legislativo local recebiam depósitos em suas contas correntes e repassavam os valores à campanha. A apuração identificou que o montante recebido de forma ilícita chegou a R$ 136,2 mil, o que corresponde a 57% da arrecadação da candidata. “A gravidade das circunstâncias resta sobejamente demonstrada nos autos e tem força suficiente para violar a normalidade e a legitimidade das eleições”, pontuou o MP Eleitoral na manifestação.

Para o ministro do TSE Sérgio Banhos, relator do caso, os abusos cometidos pelo casal comprometeram a lisura do processo eleitoral e colocaram Valdiná Almeida em posição privilegiada, ferindo a igualdade de disputa entre os candidatos. Com a decisão, tanto a deputada quanto o ex-prefeito ficarão inelegíveis por oito anos, a contar de 2018. Além disso, os votos por ela recebidos serão anulados e o quociente eleitoral recalculado.

Fonte: Asscom MPF

Leia mais

No Amazonas, militar que responde processo não tem direito ao afastamento para reserva remunerada

O Militar que responde inquérito ou processo em qualquer jurisdição não tem direito ao afastamento para a reserva remunerada, assim concluiu o Pleno do...

Violência Doméstica: Homem é condenado pelo TJAM por ameaçar atear fogo em casa

Luís Carlos Moreira Maciel foi condenado ante o juízo da Vara Única de Nova Olinda do Norte após ser julgada procedente ação penal promovida...

Mais Lidas

Justiça do Amazonas garante o direito de mulher permanecer com o nome de casada após divórcio

O desembargador Flávio Humberto Pascarelli, da 3ª Câmara Cível...

Professora de Manaus ganha direito a indenização por contrato temporário que excede prazo de 2 anos

Nos autos do processo nº 0665343-39.2019.8.04.0001 que tramitou na...

Gratificação de motorista de viatura Militar no Amazonas se aplica ao soldo, decide Tribunal

Nos autos do processo nº 0244691-47.2011, em julgamento de...

Últimas

Acusado de espancar idoso em via pública no Distrito Federal é condenado a 37 anos de prisão

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios condenou Gabriel Ferreira de Souza Vidal a 37 anos e...

No Amazonas, militar que responde processo não tem direito ao afastamento para reserva remunerada

O Militar que responde inquérito ou processo em qualquer jurisdição não tem direito ao afastamento para a reserva remunerada,...

Violência Doméstica: Homem é condenado pelo TJAM por ameaçar atear fogo em casa

Luís Carlos Moreira Maciel foi condenado ante o juízo da Vara Única de Nova Olinda do Norte após ser...

Cocaína é substância altamente nociva motivo porque agrava condenação em Manaus

Paulo dos Santos Guedes foi condenado nas penas do artigo 33 da Lei 11.343/2006 pelo juízo da Vara Única...