TJAM considera duvidoso pedido de professora que não demonstrou direito líquido e certo

TJAM considera duvidoso pedido de professora que não demonstrou direito líquido e certo

A professora aposentada Maria do Socorro Nunes Zogahib impetrou Mandado de Segurança contra o Governador do Estado do Amazonas pretendendo o reconhecimento ao direito de abono pago em razão do rateio das sobras do fundo de manutenção e desenvolvimento da educação básica (Fundeb). A ação foi julgada pelo Pleno do TJAM, nos autos do processo 4000470-43.2021, e teve como relator o Desembargador José Hamilton Saraiva dos Santos, que emitiu voto explicando que a ação exige que o direito pleiteado seja expresso em norma legal, afora a exigência de cumprimento dos demais requisitos e condições para a aplicação do remédio constitucional. Desta forma, o direito pleiteado foi considerado duvidoso, não ensejando a segurança pleiteada, exarando-se o entendimento de que o abono pago aos professores da rede pública estadual de ensino não foi fundamentado do diploma legal indicado pela Requerente. 

“A ação constitucional do Mandado de Segurança é uma ação civil de rito sumário especial, destinada a proteger direito líquido e certo, que, para ser amparável por esta via procedimental, há de vir expresso em norma legal e trazer, em si, todos os requisitos e condições para a sua aplicação”.

“Se a existência for duvidosa ou se seu exercício depender de situações, fatos e provas, ainda indeterminados, ou não produzidos, não rende ensejo à segurança, embora possa ser defendido por outros meios judiciais. No episódio em exame, a impetrante aduz que possui direito líquido e certo a perceber o abono pago aos professores da educação básica de ensino estadual, em razão das verbas provenientes do Fundeb, proporcionalmente ao período em que esteve em efetivo exercício”.

Ressaltou o acórdão que o abono pago aos professores da rede pública estadual de ensino não foi fundamentado no dispositivo do diploma legal indicado pela requerente e “sim em virtude do Decreto Estadual nº 43.197, publicado em 15 de dezembro de 2020, que se amparou no rateio de sobras do fundo, previsto na lei nº 11.494, de 20 de junho de 2007”, não havendo o direito pleiteado. 

Leia o acórdão

Loader Loading...
EAD Logo Taking too long?

Reload Reload document
| Open Open in new tab

Baixar arquivo [201.43 KB]

Leia mais

No Amazonas, beijos na boca de criança sugerem estupro de vulnerável e não importunação sexual

Pedro Silva de Braga foi denunciado pelo Ministério Público de São Gabriel da Cachoeira pela prática do crime de estupro de vulnerável porque praticou...

Surdez unilateral não concede vaga em concurso a pessoa com deficiência no Amazonas

O portador de surdez unilateral não se qualifica como pessoa com deficiência para o fim de disputar as vagas reservadas em concursos públicos assim...

Mais Lidas

Justiça do Amazonas garante o direito de mulher permanecer com o nome de casada após divórcio

O desembargador Flávio Humberto Pascarelli, da 3ª Câmara Cível...

Professora de Manaus ganha direito a indenização por contrato temporário que excede prazo de 2 anos

Nos autos do processo nº 0665343-39.2019.8.04.0001 que tramitou na...

Gratificação de motorista de viatura Militar no Amazonas se aplica ao soldo, decide Tribunal

Nos autos do processo nº 0244691-47.2011, em julgamento de...

Últimas

Em Santa Catarina, homem é condenado por desacato ao ofender enfermeira através das redes sociais

O Tribunal de Justiça de Santa Catarina condenou um homem a seis meses de detenção, em regime semiaberto, por...

Dano moral a mulher que, barrada na alfândega por Covid, teve mala extraviada em Roma

Uma mulher que teve sua bagagem extraviada após não conseguir entrar na Itália, em face das restrições impostas pela...

Conselheiro do TCE-AM vai ministrar palestra em curso promovido pelo TJAM

O conselheiro-ouvidor do Tribunal de Contas do Amazonas (TCE-AM), Érico Desterro, participará do ciclo de palestras promovido pela Escola...

No Amazonas, beijos na boca de criança sugerem estupro de vulnerável e não importunação sexual

Pedro Silva de Braga foi denunciado pelo Ministério Público de São Gabriel da Cachoeira pela prática do crime de...