TCE-AM determina a suspensão de mais de mil contratações temporárias em Itacoatiara

TCE-AM determina a suspensão de mais de mil contratações temporárias em Itacoatiara

O Tribunal de Contas do Estado do Amazonas acolheu representação realizada por vereadores da Câmara Municipal de Itacoatiara Andreia Maria Andrade Pessoa e Jucinei Freire da Silva e determinou ao Prefeito Municipal de Itacoatiara que suspensa a contratação por tempo determinado de mais de mil servidores para a Secretaria Municipal de Saúde, para cargos diversos, sob regime temporário, previstos no Decreto nº 127/2021, de autoria do Prefeito Mário Jorge Bouez Abrahim, por possíveis irregularidades. Foi relator o Conselheiro Júlio Assis Corrêa Pinheiro. A decisão acolheu pedido de Medida Cautelar, que foi submetida a apreciação do Ministério Público de Contas que alertou sobre graves falhas que poderiam ensejar prejuízo ao erário municipal. Para o relator, após as providências iniciais, estiveram presentes a fumaça do bom direito e a identificação do perigo que o não atendimento da medida poderia causar ao patrimônio público, concedendo a liminar. 

Dispôs o relator nos autos da representação nº 11.052/2021 “defiro o pedido de medida cautelar, no sentido de se determinar, com a máxima urgência, a suspensão das contratações derivadas do Decreto nº 127/2021, de 22.02.2021 conforme o artigo 1º da Resolução nº 03/2012-TCE/AM, bem como que o representado se abstenha de dar qualquer continuidade ao certame, sem autorização expressa deste Tribunal”.

Na representação acolhida se narrou que há questionamentos ao Decreto nº 127/2021 que merecem esclarecimentos e diversos, tais como sobre a necessidade atual da Administração Pública de Itacoatiara  ante o interesse público. Narra-se no documento que o decreto não prevê o prazo das contratações, apenas se baseia na Lei nº 217/2013, não tendo ocorrido sequer ampla divulgação do certame.

Entre as irregularidades, também se narrou que houve dispensa de mais de 1225 servidores de seus cargos, uma semana antes do Decreto que autorizou as contratações e que diversos servidores foram contratados para mais de um cargo/emergencial. O Relator concedeu prazo de 15(quinze) dias para a Prefeitura de Itacoatiara cumprir a determinação legal e se pronunciar à despeito das irregularidades indicadas. 

Leia a decisão

Loader Loading...
EAD Logo Taking too long?

Reload Reload document
| Open Open in new tab

Baixar arquivo [361.77 KB]

T

Leia mais

No Amazonas, beijos na boca de criança sugerem estupro de vulnerável e não importunação sexual

Pedro Silva de Braga foi denunciado pelo Ministério Público de São Gabriel da Cachoeira pela prática do crime de estupro de vulnerável porque praticou...

Surdez unilateral não concede vaga em concurso a pessoa com deficiência no Amazonas

O portador de surdez unilateral não se qualifica como pessoa com deficiência para o fim de disputar as vagas reservadas em concursos públicos assim...

Mais Lidas

Justiça do Amazonas garante o direito de mulher permanecer com o nome de casada após divórcio

O desembargador Flávio Humberto Pascarelli, da 3ª Câmara Cível...

Professora de Manaus ganha direito a indenização por contrato temporário que excede prazo de 2 anos

Nos autos do processo nº 0665343-39.2019.8.04.0001 que tramitou na...

Gratificação de motorista de viatura Militar no Amazonas se aplica ao soldo, decide Tribunal

Nos autos do processo nº 0244691-47.2011, em julgamento de...

Últimas

Em Santa Catarina, homem é condenado por desacato ao ofender enfermeira através das redes sociais

O Tribunal de Justiça de Santa Catarina condenou um homem a seis meses de detenção, em regime semiaberto, por...

Dano moral a mulher que, barrada na alfândega por Covid, teve mala extraviada em Roma

Uma mulher que teve sua bagagem extraviada após não conseguir entrar na Itália, em face das restrições impostas pela...

Conselheiro do TCE-AM vai ministrar palestra em curso promovido pelo TJAM

O conselheiro-ouvidor do Tribunal de Contas do Amazonas (TCE-AM), Érico Desterro, participará do ciclo de palestras promovido pela Escola...

No Amazonas, beijos na boca de criança sugerem estupro de vulnerável e não importunação sexual

Pedro Silva de Braga foi denunciado pelo Ministério Público de São Gabriel da Cachoeira pela prática do crime de...