Sobre a representação por irregularidades em licitação feita pelo MPC-AM contra Prefeitura de Anori

Sobre a representação por irregularidades em licitação feita pelo MPC-AM contra Prefeitura de Anori

A administração Pública, seja na esfera federal, estadual ou municipal, quando pretender a contratação de um serviço ou a aquisição de um determinado bem, deverá fazer uso da licitação—procedimento obrigatório para a assinatura de contratos com o ente público.

O processo de licitação está amarrado a regras e princípios voltados ao interesse público. Em Anori, no Estado do Amazonas, o Ministério Público de Contas moveu representação com pedido cautelar — medida temporária e emergencial para viabilizar a contenção de possíveis prejuízos ao patrimônio público — com informação e pedido liminar levado ao Conselheiro Presidente do Tribunal de Contas do Estado.

O Ministério Público pretende a suspensão cautelar dos efeitos da Ata de Registro de Preços decorrentes do Pregão nº 008/2021, impedindo que a Prefeitura Municipal de Anori venha a executar o contrato, caso já o tenha celebrado.

O Ministério Público do Amazonas, explica que já havia solicitado explicações da Prefeitura de Anori com pedido de informações e documentos sobre a licitação, mas o Prefeito respondeu não haver nenhum contrato celebrado com as empresas Romualdo Marcião de Almeida Filho-ME e José Raimundo Alves Lopes- ME.

Ocorre que as publicações constantes no Diário Oficial dos Municípios se direcionam no sentido contrário do material informativo encaminhado pela Prefeitura, com flagrante descumprimento das leis regentes da matéria.

A Procuradora de Contas Elissandra Monteiro Freire Alvares, pediu ao TCE que promova instrução oficial com ampla apuração dos fatos narrados e aplicação das sanções legais após a comprovação dos fatos.

Veja na íntegra a representação do MPC encaminhada ao TCE:

Loader Loading...
EAD Logo Taking too long?

Reload Reload document
| Open Open in new tab

Baixar arquivo [3.23 MB]

Leia mais

TJAM diz que ordem judicial para retirada de matéria de site é censura prévia

Ao examinar e julgar autos de recurso de agravo de instrumento interposto por Revista Cenarium contra decisão interlocutória da 12ª. Vara Cível de Manaus,...

Paternidade não pode ser rescindida por falta de intimação pessoal para audiência em Manaus

Na ação Rescisória proposta por R.C.R contra Mirela Brito Reis e Milena de Souza Brito, nos autos de processo 4007638-33.2020, julgou-se improcedentes os pedidos...

Mais Lidas

Justiça do Amazonas garante o direito de mulher permanecer com o nome de casada após divórcio

O desembargador Flávio Humberto Pascarelli, da 3ª Câmara Cível...

Professora de Manaus ganha direito a indenização por contrato temporário que excede prazo de 2 anos

Nos autos do processo nº 0665343-39.2019.8.04.0001 que tramitou na...

Gratificação de motorista de viatura Militar no Amazonas se aplica ao soldo, decide Tribunal

Nos autos do processo nº 0244691-47.2011, em julgamento de...

Últimas

MPAM discute com SSP e Seai o combate ao crime organizado no Amazonas

Na tarde do dia 14/10, o Ministério Público do Amazonas (MPAM) participou de reunião de trabalho com o Secretário...

TJAM diz que ordem judicial para retirada de matéria de site é censura prévia

Ao examinar e julgar autos de recurso de agravo de instrumento interposto por Revista Cenarium contra decisão interlocutória da...

Paternidade não pode ser rescindida por falta de intimação pessoal para audiência em Manaus

Na ação Rescisória proposta por R.C.R contra Mirela Brito Reis e Milena de Souza Brito, nos autos de processo...

Promessa de compra e venda de imóvel em Manaus não cumprida no prazo, gera rescisão com juros

O Tribunal de Justiça do Amazonas tem mantido decisões que acolhem pedidos de consumidores por rescisão unilateral de contrato...