Pedido de suspensão de leilão de imóvel exige razoabilidade, afirma desembargador do Amazonas

Pedido de suspensão de leilão de imóvel exige razoabilidade, afirma desembargador do Amazonas

Não sobrevindo o pagamento mensal contratado para a compra de um imóvel surge a inadimplência podendo o devedor ser notificado a pagar o débito no prazo legal, chamado de purgação da mora (débito), restabelecendo a regularidade do pacto efetuado.

Nos autos do processo n° 0636059-54.2017, o autor ingressou com pedido de liminar para suspensão ou cancelamento de leilão de imóvel, em razão de um contrato de compra e venda que realizou com o Banco Bradesco para financiamento de uma casa.

O homem alegou que os valores acordados do parcelamento foram debitados normalmente em sua conta corrente até 2017, e que após isso começou a passar por um momento de dificuldade financeira, não dispondo dos valores em conta a serem debitados, acarretando o seu inadimplemento perante a instituição financeira.

Alegou ainda, que com o passar dos meses, a empresa de cobrança Siscom Teleatendimento, lhe encaminhou um email informando que fora aberto uma dívida em seu nome no valor de R$26.000,00 (Vinte e Seis Mil Reais).

Alega o autor que solicitou uma forma de conciliação, mas teve seu pedido negado, e que quando se dirigiu até a agência foi comunicado que não poderia mais haver qualquer tipo de conciliação ou solução amigável, visto que o imóvel já teria sido encaminhado a Leilão.

Com medo de ser despejado de sua moradia, valeu-se da justiça.

Em defesa, o Banco Bradesco alegou que não tem lógica anular leilão pelo fato de o autor-devedor não ter sido notificado a purgar mora e que não produziu qualquer prova ou evidência mínima acerca da não aceitação do crédito por parte do credor.

Em sentença, a juiza Ida Maria Costa de Andrade, da 15ª Vara Cível e de Acidentes de Trabalho, entendeu que o autor inadimpliu o contrato celebrado e julgou improcedente a ação cautelar para suspender leilão de imóvel já consolidado com a instituição financeira, condenando, também, o autor ao pagamento de honorários advocatícios.

O autor apelou da sentença.

O Desembargador Flávio Humberto Pascarelli Lopes, relator dos autos, apreciando recurso de apelação, em acórdão publicado no site do diário de justiça do TJAM, entendeu que deveria manter sentença que em sede de 1º grau de jurisdição negou cautelar para suspensão de leilão imobiliário.

Asseverou o relator que: “para o deferimento de medida cautelar exige-se a presença do fumus boni iuris e do periculum in mora. – Ainda que presente o perigo de dano pela perda do bem, ausente qualquer indicação sobre a plausibilidade e probabilidade do direito a ser assegurado, o indeferimento do pedido cautelar se impõe.”

Desta forma, a plausibilidade do direito — aceitação e razoabilidade do pedido e da causa de pedir — tem que ser demonstrada e ser razoável para a concessão de cautelares em matéria de suspensão de leilão de imóvel.

Veja o acórdão abaixo:

Loader Loading...
EAD Logo Taking too long?

Reload Reload document
| Open Open in new tab

Baixar arquivo [117.30 KB]

 

 

 

 

Leia mais

TJAM diz que ordem judicial para retirada de matéria de site é censura prévia

Ao examinar e julgar autos de recurso de agravo de instrumento interposto por Revista Cenarium contra decisão interlocutória da 12ª. Vara Cível de Manaus,...

Paternidade não pode ser rescindida por falta de intimação pessoal para audiência em Manaus

Na ação Rescisória proposta por R.C.R contra Mirela Brito Reis e Milena de Souza Brito, nos autos de processo 4007638-33.2020, julgou-se improcedentes os pedidos...

Mais Lidas

Justiça do Amazonas garante o direito de mulher permanecer com o nome de casada após divórcio

O desembargador Flávio Humberto Pascarelli, da 3ª Câmara Cível...

Professora de Manaus ganha direito a indenização por contrato temporário que excede prazo de 2 anos

Nos autos do processo nº 0665343-39.2019.8.04.0001 que tramitou na...

Gratificação de motorista de viatura Militar no Amazonas se aplica ao soldo, decide Tribunal

Nos autos do processo nº 0244691-47.2011, em julgamento de...

Últimas

MPAM discute com SSP e Seai o combate ao crime organizado no Amazonas

Na tarde do dia 14/10, o Ministério Público do Amazonas (MPAM) participou de reunião de trabalho com o Secretário...

TJAM diz que ordem judicial para retirada de matéria de site é censura prévia

Ao examinar e julgar autos de recurso de agravo de instrumento interposto por Revista Cenarium contra decisão interlocutória da...

Paternidade não pode ser rescindida por falta de intimação pessoal para audiência em Manaus

Na ação Rescisória proposta por R.C.R contra Mirela Brito Reis e Milena de Souza Brito, nos autos de processo...

Promessa de compra e venda de imóvel em Manaus não cumprida no prazo, gera rescisão com juros

O Tribunal de Justiça do Amazonas tem mantido decisões que acolhem pedidos de consumidores por rescisão unilateral de contrato...