Pai que estupra a filha menor de 14 anos dentro de casa, tem pena agravada, diz TJAM

Pai que estupra a filha menor de 14 anos dentro de casa, tem pena agravada, diz TJAM

A 1ª. Vara Especializada em Crimes Contra a Dignidade Sexual de Crianças e Adolescentes condenou A. da S.F., por reconhecer que vitimara a própria filha, menor de 14 (catorze) anos à ter conjunção carnal, com prática de atos sexuais e outros que satisfizeram sua vontade sexual. O condenado apelou, pedindo absolvição ou a nulidade de circunstâncias que, na fixação de sua pena, foram reconhecidas e fixadas com o aumento da pena privativa de liberdade, que foi além do limite mínimo legal, que se inicia com 8 anos de prisão em regime fechado. O recurso tem o registro de nº 0671477-48.2020.8.04.0001, e teve como Relator o Desembargador José Hamilton Saraiva dos Santos. 

A irresignação do Recorrente restou afastada quanto ao pedido de absolvição, pois, segundo consta no Acórdão, findou provada a conduta criminosa face às comprovações de autoria e materialidade delitivas que se demonstraram, principalmente, com as declarações prestadas pela vítima durante a fase do inquérito e que foram confirmadas no sumário psicossocial, corroborados por testemunhos firmes em juízo, com o reconhecimento da prática de estupro de vulnerável-pedofilia. 

O Acórdão negou, ainda, os pedidos de afastamento de circunstâncias que ao ver da defesa constituiriam  incidência de dupla punição por um fato que  já teria motivado o agravamento da pena, elevando-a além do limite mínimo legal previsto de 8 (oito) anos de reclusão.

Mas o Relator firmou que a agravante descrita no artigo 61, Inciso II, alínea ‘f’ do CP, de ter praticado o crime prevalecendo-se de relações domésticas, com violência contra a mulher não se confunde com a causa especial de aumento de pena descrita no artigo 226,Inciso II, do mesmo estatuto, com o aumento de pena até a metade, quando o agente é pai da vítima, condição distinta da agravante genérica combatida. 

Leia o acórdão

 

 

 

 

Leia mais

Direito à informações é prerrogativa da Defensoria Pública do Amazonas

Ter acesso às informações que são requisitadas dos órgãos públicos é prerrogativa constitucional da Defensoria Pública do Amazonas, mormente porque a Instituição atua na...

Para TJAM, havendo grave comprometimento da ordem pública não há espaço para a liberdade

Célio Domingos da Silva teve pedido de habeas corpus negado pela Desembargadora Carla Maria Santos dos Reis nos autos do processo nº 4004745-35.2021.8.04.0000, mantendo-se...

Mais Lidas

Justiça do Amazonas garante o direito de mulher permanecer com o nome de casada após divórcio

O desembargador Flávio Humberto Pascarelli, da 3ª Câmara Cível...

Diagnóstico unilateral sobre medição de contadores pela Amazonas Energia é vexatório a consumidor

A concessionária de energia elétrica Amazonas Energia não pode...

Homem que ofereceu carona e estuprou adolescente a caminho da escola em Barreirinha-Am é condenado

Nos autos do processo nº0000395-28.2018.8.04.2700, Josinaldo Souza Teixeira recorreu...

Últimas

Pai, madrasta e avó são condenados pelo Conselho de Sentença no TJRO

Terminou em condenação para os três acusados de matar por espancamento e tortura a menina Lauanny Hester Rodrigues, na...

Juiz não está impedido de atuar em processo que tem parte instituição que exerce magistério

A 5ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) julgou prejudicado o incidente de impedimento de um...

TRF1: É constitucional a fixação de taxa para expedição de ART pelo conselho profissional

A 7ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) decidiu pela legitimidade da fixação de valor da...

STJ mantém prisão de PM acusado pela morte de criança de cinco anos durante patrulhamento no RJ

O ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Ribeiro Dantas, em decisão monocrática, manteve a prisão do policial militar...