No Amazonas, MPC requer suspensão de obras no Castanho com anuência do IPAAM

No Amazonas, MPC requer suspensão de obras no Castanho com anuência do IPAAM

O Procurador de Contas do Ministério Público do Amazonas – MPC Ruy Marcelo Alencar de Mendonça, requereu ao Tribunal de Contas do Estado a concessão de medida cautelar contra o Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas – IPAAM e seus Diretores, bem como contra o Secretário de Infraestrutura e Região Metropolitana – SEINFRA, e ainda contra a empresa Iza Construções e Comércio Eirelli, por possível episódio de ilicitude e má-gestão de obra pública, por não exigência e aprovação de estudo prévio de impacto ambiental na forma determinada pela Constituição Brasileira, na região do Castanho.

Narra o Procurador de Contas que recebeu denúncia no sentido de que a SEINFRA, com o consentimento do IPAAM, independentemente de estudo prévio de impacto ambiental ou qualquer outra avaliação de impacto, começou a executar indiretamente por empresa contratada, no primeiro semestre de 2021, a obra de pavimentação do Ramal Cachoeira do Castanho, localizado no Km 24 da Am-070 e do Ramal do Uga-Uga, localizado no Km 26 da Am-070, ambos no Município de Iranduba/AM, em meio rural e florestal amazônico, como demonstrado pelo Procurador ao Tribunal por imagens de satélite.

A obra milionária custará aos cofres públicos o valor de R$ 14.951.541,94 (quatorze milhões, novecentos e cinquenta e um mil, quinhentos e quarenta e um reais e noventa e quatro centavos) com a empresa Iza Construções e Comércio Eirelli.

Segundo o Procurador, ao que tudo indica, o IPAAM teria liberado os empreendimentos sem fazer cumprir a Constituição, vez que a SEINFRA, enquanto empreendedora, não providenciou o necessário estudo prévio de impacto ambiental para pavimentação  de estrada encravada na Floresta Amazônica. 

Afirma o Ministério Público de Contas que as citadas obras sejam definidas nominal e formalmente como de “recuperação do Ramal”, o que se observa em seus conteúdos é autêntica obra de pavimentação asfáltica de estrada de terra, sem o cumprimento dos requisitos necessários para evitar danos ambientais. 

O MPC/AM pede ao Tribunal de Contas a concessão liminar de Medida Cautelar suspensiva, sem prejuízo de possível ajustamento de gestão, a depender da conduta dos agentes representados no sentido de se adequar à lei evitando e recuperando possíveis danos. 

Pede ainda, a regular instrução da representação, mediante apuração oficial e técnica pelo TCE, com garantia ao contraditório e a ampla defesa aos agentes e à empresa representados.

Leia a representação do MPC:

Loader Loading...
EAD Logo Taking too long?

Reload Reload document
| Open Open in new tab

Baixar arquivo [723.39 KB]

Leia mais

TJAM diz que ordem judicial para retirada de matéria de site é censura prévia

Ao examinar e julgar autos de recurso de agravo de instrumento interposto por Revista Cenarium contra decisão interlocutória da 12ª. Vara Cível de Manaus,...

Paternidade não pode ser rescindida por falta de intimação pessoal para audiência em Manaus

Na ação Rescisória proposta por R.C.R contra Mirela Brito Reis e Milena de Souza Brito, nos autos de processo 4007638-33.2020, julgou-se improcedentes os pedidos...

Mais Lidas

Justiça do Amazonas garante o direito de mulher permanecer com o nome de casada após divórcio

O desembargador Flávio Humberto Pascarelli, da 3ª Câmara Cível...

Professora de Manaus ganha direito a indenização por contrato temporário que excede prazo de 2 anos

Nos autos do processo nº 0665343-39.2019.8.04.0001 que tramitou na...

Gratificação de motorista de viatura Militar no Amazonas se aplica ao soldo, decide Tribunal

Nos autos do processo nº 0244691-47.2011, em julgamento de...

Últimas

MPAM discute com SSP e Seai o combate ao crime organizado no Amazonas

Na tarde do dia 14/10, o Ministério Público do Amazonas (MPAM) participou de reunião de trabalho com o Secretário...

TJAM diz que ordem judicial para retirada de matéria de site é censura prévia

Ao examinar e julgar autos de recurso de agravo de instrumento interposto por Revista Cenarium contra decisão interlocutória da...

Paternidade não pode ser rescindida por falta de intimação pessoal para audiência em Manaus

Na ação Rescisória proposta por R.C.R contra Mirela Brito Reis e Milena de Souza Brito, nos autos de processo...

Promessa de compra e venda de imóvel em Manaus não cumprida no prazo, gera rescisão com juros

O Tribunal de Justiça do Amazonas tem mantido decisões que acolhem pedidos de consumidores por rescisão unilateral de contrato...