Manaus: Caixa Econômica não é responsável por danos em obras do Minha Casa Minha Vida

Manaus: Caixa Econômica não é responsável por danos em obras do Minha Casa Minha Vida

O Programa Minha Casa Minha Vida – PMCMV corresponde a um programa de habitação federal do Brasil criado em março de 2009 pelo presidente Lula, consistiu em subsidiar a aquisição de casa ou apartamento próprio para famílias com renda de menos de R$ 2 mil e tem como instituição financeira a Caixa Econômica Federal.

Aquele que, sentir-se prejudicado por danos na construção do imóvel não tem o direito de, ao promover a ação de reparação dos prejuízos pretender que a Caixa Econômica seja chamada ao polo processual passivo da ação, pois, segundo o juízo de direito da 1ª. Vara Cível e de Acidentes de Trabalho de Manaus, a instituição financeira não interfere em aspectos técnicos da construção, de modo que, consertos ou indenizações devem ser demandados em face da Construtora.

A decisão consta dos autos de processo cível nº 0210179-86.2021 que tramita na 1ª. Vara Cível. O magistrado relembra que: “em reiterados julgados, esta Corte já reconheceu a ilegitimidade da Caixa Econômica Federal para responder a pedido de indenização por danos morais e materiais, decorrentes de atraso na entrega de obra e vícios construtivos em imóveis adquiridos por meio do Programa Minha Casa Minha Vida, quando sua participação no negócio jurídico está adstrita à função de agente operador do financiamento para fins de aquisição do bem.

O processo foi julgado sem resolução do mérito, mas não transitou em julgado-cabível, pois, recurso em caso de insatisfação do interessado-observados os prazos são definidos em lei. 

Veja a decisão na íntegra

Loader Loading...
EAD Logo Taking too long?

Reload Reload document
| Open Open in new tab

Baixar arquivo [145.05 KB]

Leia mais

TJAM diz que ordem judicial para retirada de matéria de site é censura prévia

Ao examinar e julgar autos de recurso de agravo de instrumento interposto por Revista Cenarium contra decisão interlocutória da 12ª. Vara Cível de Manaus,...

Paternidade não pode ser rescindida por falta de intimação pessoal para audiência em Manaus

Na ação Rescisória proposta por R.C.R contra Mirela Brito Reis e Milena de Souza Brito, nos autos de processo 4007638-33.2020, julgou-se improcedentes os pedidos...

Mais Lidas

Justiça do Amazonas garante o direito de mulher permanecer com o nome de casada após divórcio

O desembargador Flávio Humberto Pascarelli, da 3ª Câmara Cível...

Professora de Manaus ganha direito a indenização por contrato temporário que excede prazo de 2 anos

Nos autos do processo nº 0665343-39.2019.8.04.0001 que tramitou na...

Gratificação de motorista de viatura Militar no Amazonas se aplica ao soldo, decide Tribunal

Nos autos do processo nº 0244691-47.2011, em julgamento de...

Últimas

MPAM discute com SSP e Seai o combate ao crime organizado no Amazonas

Na tarde do dia 14/10, o Ministério Público do Amazonas (MPAM) participou de reunião de trabalho com o Secretário...

TJAM diz que ordem judicial para retirada de matéria de site é censura prévia

Ao examinar e julgar autos de recurso de agravo de instrumento interposto por Revista Cenarium contra decisão interlocutória da...

Paternidade não pode ser rescindida por falta de intimação pessoal para audiência em Manaus

Na ação Rescisória proposta por R.C.R contra Mirela Brito Reis e Milena de Souza Brito, nos autos de processo...

Promessa de compra e venda de imóvel em Manaus não cumprida no prazo, gera rescisão com juros

O Tribunal de Justiça do Amazonas tem mantido decisões que acolhem pedidos de consumidores por rescisão unilateral de contrato...