Irregularidade na representação processual torna nulo o processo delibera TJAM

Irregularidade na representação processual torna nulo o processo delibera TJAM

O acesso à justiça é direito fundamental que percorre meios alternativos de solução de conflitos de interesses através da conciliação, mediação e arbitragem. Quando se cuida de obter que uma lide — disputa de interesses — seja resolvida pelos mecanismos processuais, algumas regras devem ser observadas pelos interessados.
 
Um desses pressupostos é o de que as partes devem ser representadas por advogados, isto porque, o profissional do direito, regularmente inscrito na Ordem dos Advogados do Brasil – OAB, é imprescindível a administração da justiça, dele não se podendo descartar para o sucesso do ingresso de uma ação e de seu provimento (atendimento) pelo órgão jurisdicional.

Com base nesses princípios e regras, o Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas nos autos do processo n° 0648296-18.2020, da 17ª. Vara Cível e Acidentes de Trabalho, não conheceu de apelação da Amazonas Distribuidora de Energia S/A face a renúncia pelo advogado da parte interessada ao mandato judicial. Esse é um direito do advogado, que o pode fazer a qualquer tempo, provando na forma prevista no Código, que comunicou a renúncia ao mandante — aquele que o contratou para a causa.

O Desembargador Ernesto Anselmo Queiroz Chíxaro considerou, inclusive, entendimento do STJ, no qual “revela-se imperioso o não conhecimento do recurso quando a parte, devidamente notificada da renúncia de mandato por parte de seus procuradores, deixa de regularizar sua representação processual”.

É dever da parte o de constituir novos advogados. No caso concreto, o Tribunal concedeu ao interessado o prazo de 5 (cinco) dias para regularizar a representação, o que não foi cumprido, autorizando que o recurso sequer fosse conhecido em segunda instância pelo TJAM.

Leia o acórdão:

Loader Loading...
EAD Logo Taking too long?

Reload Reload document
| Open Open in new tab

Baixar arquivo [177.17 KB]

Leia mais

Provado o latrocínio tentado com o testemunho da vítima do assalto, mantém-se condenação em Manaus

Bruno Tafaréu Gonçalves Figueiredo foi condenado ante a 6ª. Vara Criminal de Manaus por haver tentado a subtração de coisa alheia móvel mediante violência...

Confusão de fundamentos jurídicos impedem conhecimento de Reclamação Constitucional pelo TJAM

Em reclamação constitucional proposta por Maria Ocilene Sena Cruz contra a Segunda Turma Recursal do Juizado Especial Cível do Amazonas, a autora indicou descumprimento...

Mais Lidas

Justiça do Amazonas garante o direito de mulher permanecer com o nome de casada após divórcio

O desembargador Flávio Humberto Pascarelli, da 3ª Câmara Cível...

Professora de Manaus ganha direito a indenização por contrato temporário que excede prazo de 2 anos

Nos autos do processo nº 0665343-39.2019.8.04.0001 que tramitou na...

Gratificação de motorista de viatura Militar no Amazonas se aplica ao soldo, decide Tribunal

Nos autos do processo nº 0244691-47.2011, em julgamento de...

Últimas

TST reconhece natureza salarial do direito de imagem de jogador do Coritiba Foot Ball Club

A Subseção I Especializada em Dissídios Individuais (SDI-1) do Tribunal Superior do Trabalho reconheceu a natureza salarial da parcela...

TST decide que causas múltiplas de lesão na coluna não afastam direito de empregado à estabilidade

A Quarta Turma do Tribunal Superior do Trabalho reconheceu o direito de um auxiliar de produção despedido pela Cimento...

STJ confirma corte de candidata cotista por comissão formada após homologação do concurso

Por considerar válida a aferição das características dos candidatos em cota racial realizada quatro anos após a publicação do...

Provado o latrocínio tentado com o testemunho da vítima do assalto, mantém-se condenação em Manaus

Bruno Tafaréu Gonçalves Figueiredo foi condenado ante a 6ª. Vara Criminal de Manaus por haver tentado a subtração de...