Garantia da ordem pública se sobrepõe ao direito de recorrer em liberdade, fixa TJAM

Garantia da ordem pública se sobrepõe ao direito de recorrer em liberdade, fixa TJAM

Cuidando-se de réu reincidente não há constrangimento ilegal na sentença que não permite ao condenado em primeiro grau recorrer em liberdade, especialmente ante circunstância que se demonstrou evidenciada nos autos. A conclusão do Desembargador Jorge Manuel Lopes Lins fez jurisprudência nos autos de Habeas Corpus nº 400306-78.2021.8.04.0000, em foi paciente Fabiano de Souza Nogueira, condenado pelo Juízo de Tabatinga pela prática dos crimes de porte ilegal de armas de fogo de uso restrito e corrupção ativa. O acusado se encontrava em regime aberto na execução de condenação penal pelo crime de tráfico de drogas quando cometeu o novo delito, pressuposto que o desautorizou a recorrer em liberdade. 

No writ constitucional em favor do Paciente também  fora alegado excesso de prazo na formação da culpa, mas o TJAM considerou que não há constrangimento ilegal quando a demora decorre de questões naturais ao processo, não se detectando causa que pudesse ser atribuída a omissão do juízo na instrução processual. 

No mérito, considerou-se que “tratando-se de réu reincidente, a negativa do direito de recorrer em liberdade encontra-se devidamente fundamentada em dados concretos extraídos dos autos, que evidenciam a necessidade da prisão do paciente para a garantia da ordem pública”.

Para o Tribunal do Amazonas, não mereceu acolhida a tese consubstanciando no HC submetida a julgamento, pois, “tratando-se de réu reincidente, a negativa do direito de recorrer em liberdade encontra-se devidamente fundamentada em dados concretos extraídos dos autos, que evidenciam a necessidade da prisão do paciente para garantia da ordem pública”.

 

Leia mais

Liminar suspende execução de Medição Centralizada da Amazonas Energia

A circunstância de que seja concessionária de serviço público, especialmente na prestação de produto essencial de energia elétrica  da Amazonas Energia, e, na conclusão...

A concessão de Habeas Corpus de ofício pelo TJ/Amazonas exige flagrante ilegalidade na prisão

A concessão de Habeas Corpus de ofício pelo Tribunal exige que seja constatada a flagrante ilegalidade na constrição cautelar daquele que foi privado de...

Mais Lidas

Justiça do Amazonas garante o direito de mulher permanecer com o nome de casada após divórcio

O desembargador Flávio Humberto Pascarelli, da 3ª Câmara Cível...

TJAM: União Estável proporciona direito a pensão por morte do companheiro sobrevivente

Em matéria de direito previdenciário nos autos do processo...

Diagnóstico unilateral sobre medição de contadores pela Amazonas Energia é vexatório a consumidor

A concessionária de energia elétrica Amazonas Energia não pode...

Últimas

TRF1 diz que cabe ao Poder Público o fornecimento de insumos para terapia com óleo de Cannabis

Óleo derivado da Cannabis deve ser fornecido pelo Poder Público em terapia de uma paciente acometida de doença neurodegenerativa...

Bolsonaro deve se defender em 2 dias da acusação de ter feito campanha antecipada

Na última segunda-feira (17/1), o ministro Alexandre de Moraes, na condição de membro do Tribunal Superior Eleitoral, determinou a citação do...

Em Goiás, mulher que encontrou corpo estranho em molho de tomate será indenizada

Goiás  - O juiz Carlos Gustavo Fernandes de Morais, do Juizado Especial Cível da comarca de Luziânia-GO, condenou a...

Vítima de acidente de trânsito no DF deverá ser indenizada por danos materiais e morais

Distrito FederalJuiz do 1º Juizado Especial Cível de Taguatinga condenou a proprietária e o condutor de um veículo e...