Estado do Amazonas obtém tutela provisória que suspende greve de professores

Estado do Amazonas obtém tutela provisória que suspende greve de professores

A Procuradoria Geral do Estado do Amazonas ajuizou ação civil pública contra dois sindicatos de professores, o SINTEAM- Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Amazonas – e a ASPRON sindical – Sindicato dos Professores e Pedagogos do Ensino Público da Educação Básica do Município de Manaus, pedindo tutela provisória de urgência contra movimento grevista, obtendo a concessão de liminar.

A decisão é da desembargadora Joana dos Santos Meirelles, relatora dos autos de ação civil pública n° 4004182-41.2021, movida pelo Procurador Leonardo de Borborema Blasch.

A intimação da decisão foi publicada no Diário de Justiça do Tribunal do Amazonas, e consta nas páginas 197-206.

Determinou a relatora na decisão: “Diante destas razões, considerando a presença dos requisitos do art. 300 do CPC, defiro o pedido de tutela provisória de urgência, para determinar que os Requeridos suspendam o indicativo de greve e se abstenham de deflagrar o movimento grevista e, se este tiver sido deflagrado, suspenda o mesmo, no prazo de 48 (quarenta e oito) horas, se abstendo de adotar medidas que impliquem em embaraço ao regular funcionamento dos órgãos da administração, sob pena de multa diária, fixada nesta oportunidade em R$ 100.000,00 (cem mil reais) em caso de descumprimento aplicável solidariamente ao órgão sindical e aos seus representantes. Autorizo que o Autor proceda ao desconto dos dias não trabalhados dos trabalhadores que tiverem aderido ao movimento grevista, e, em virtude da adesão, tiverem descumprido suas obrigações laborais, incidente a partir da intimação. No mesmo prazo deverá o Estado do Amazonas indicar o anexo ou trazer aos autos o ofício n. 100/2021-PR, expedido pelo SINTEAM”.

Leia a decisão:

Loader Loading...
EAD Logo Taking too long?

Reload Reload document
| Open Open in new tab

Baixar arquivo [115.49 KB]

 

 

 

 

Leia mais

Habeas Corpus de ofício em 2ª. instância ocorre somente em caso de patente ilegalidade, julga TJAM

O Defensor Público Fernando Figueiredo Serejo Mestrinho recorreu de decisão monocrática do Desembargador José Hamilton Saraiva dos Santos que indeferiu, liminarmente, pedido de concessão...

Renúncia de advogado implica que parte cumpra dever de constituição de novo causídico, diz TJAM

Nos autos do processo 0004715-68.2021.8.04.0000, o Desembargador Paulo César Caminha e Lima negou provimento a agravo regimental no qual J. L. Chaar Simão-Amazon Print...

Mais Lidas

Justiça do Amazonas garante o direito de mulher permanecer com o nome de casada após divórcio

O desembargador Flávio Humberto Pascarelli, da 3ª Câmara Cível...

Professora de Manaus ganha direito a indenização por contrato temporário que excede prazo de 2 anos

Nos autos do processo nº 0665343-39.2019.8.04.0001 que tramitou na...

Gratificação de motorista de viatura Militar no Amazonas se aplica ao soldo, decide Tribunal

Nos autos do processo nº 0244691-47.2011, em julgamento de...

Últimas

Barroso suspende decisão que mandou Twitter apagar posts de jornalista

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), suspendeu nesta terça-feira (26) decisão de um juiz de...

Pleno do TJAM realiza remoção de juízes para comarcas do interior

O Pleno do Tribunal de Justiça do Amazonas realizou na sessão desta terça-feira (26/10) a escolha de magistrados em...

Em Humaitá, servidor é condenado a quase 10 anos por estuprar subordinada em instituição pública

O Ministério Público do Amazonas obteve, no último dia 19/10, o afastamento do cargo de um servidor público condenado...

TRT-AM não reconhece relação de emprego em consultoria prestada após demissão

Um profissional contratado como consultor um dia após ser dispensado do cargo de gerente geral não conseguiu comprovar na...