Em Manaus, apreensão de veículo exige prévia notificação de devedor mesmo que inadimplente

Em Manaus, apreensão de veículo exige prévia notificação de devedor mesmo que inadimplente

É possível a busca e apreensão do veículo quando for caracterizado a inadimplência nos contratos de financiamento do contratante. No entanto, se exige que o devedor seja previamente notificado quanto ao atraso no cumprimento da prestação, com consequente perda da posse do veículo, constituindo-se em mora por não pagar a dívida na data do seu vencimento. O tema foi debatido nos autos do processo 0763832-77.2020, em recurso de apelação interposto por B.I. S/A contra E. da.C.V, em ação que tramitou originalmente na 13ª. Vara Cível e de Acidentes de Trabalho de Manaus. Em julgamento da apelação, o desembargador João de Jesus Abdala Simões, lavrou o entendimento de que se a notificação extrajudicial não for entregue no endereço indicado no contrato, não há constituição em mora do devedor.

A comprovação de que o devedor não pagou a dívida no dia do vencimento necessária para a “concessão da busca e apreensão, consoante dispõe o artigo 3º, do Decreto lei nº 911/69″.”

A demonstração da inadimplência-dívida não paga pontualmente, como revela o Acórdão, fica caracterizada por meio de entrega de carta registrada com aviso de recebimento. A mora decorre do simples vencimento, mas a ação de busca e apreensão fica condicionada à comprovação do envio da notificação extrajudicial para o endereço do devedor indicado no contrato.

“Certo é que a notificação deve ser enviada e efetivamente entregue no endereço do devedor, ainda que se admita o recebimento por terceiro. Por conseguinte, inexistindo qualquer assinatura no aviso de recebimento da notificação, não é possível afirmar que o devedor foi constituído em mora”.

Leia o acórdão

Loader Loading...
EAD Logo Taking too long?

Reload Reload document
| Open Open in new tab

Baixar arquivo [179.68 KB]

Leia mais

Habeas Corpus de ofício em 2ª. instância ocorre somente em caso de patente ilegalidade, julga TJAM

O Defensor Público Fernando Figueiredo Serejo Mestrinho recorreu de decisão monocrática do Desembargador José Hamilton Saraiva dos Santos que indeferiu, liminarmente, pedido de concessão...

Renúncia de advogado implica que parte cumpra dever de constituição de novo causídico, diz TJAM

Nos autos do processo 0004715-68.2021.8.04.0000, o Desembargador Paulo César Caminha e Lima negou provimento a agravo regimental no qual J. L. Chaar Simão-Amazon Print...

Mais Lidas

Justiça do Amazonas garante o direito de mulher permanecer com o nome de casada após divórcio

O desembargador Flávio Humberto Pascarelli, da 3ª Câmara Cível...

Professora de Manaus ganha direito a indenização por contrato temporário que excede prazo de 2 anos

Nos autos do processo nº 0665343-39.2019.8.04.0001 que tramitou na...

Gratificação de motorista de viatura Militar no Amazonas se aplica ao soldo, decide Tribunal

Nos autos do processo nº 0244691-47.2011, em julgamento de...

Últimas

Pleno do TJAM realiza remoção de juízes para comarcas do interior

O Pleno do Tribunal de Justiça do Amazonas realizou na sessão desta terça-feira (26/10) a escolha de magistrados em...

Em Humaitá, servidor é condenado a quase 10 anos por estuprar subordinada em instituição pública

O Ministério Público do Amazonas obteve, no último dia 19/10, o afastamento do cargo de um servidor público condenado...

TRT-AM não reconhece relação de emprego em consultoria prestada após demissão

Um profissional contratado como consultor um dia após ser dispensado do cargo de gerente geral não conseguiu comprovar na...

TCE-AM abre inscrições para o 5º Simpósio Nacional de Ouvidorias

Estão abertas as inscrições para o 5º Simpósio Nacional de Ouvidorias, idealizado pela Ouvidoria do Tribunal de Contas do...