Em Coari justiça reconhece danos morais pelo não recebimento de direitos trabalhistas

Em Coari justiça reconhece danos morais pelo não recebimento de direitos trabalhistas

O direito ao recebimento de verbas de natureza trabalhista é direito fundamental previsto na Constituição Federal e o seu não pagamento deve ser alvo de indenização por quem tenha a obrigação.

Com esse entendimento, a desembargadora Maria das Graças Pessoa Figueiredo garantiu que servidora pública do Município de Coari tenha suas verbas trabalhistas asseguradas.

A verba salarial, é direito fundamental constitucionalmente garantido, asseverou a juíza de segundo grau do Amazonas. Ademais, a verba salarial tem natureza alimentar, de modo que a ausência de seu pagamento por culpa do Ente Público ocasiona reflexos na vida do trabalhador, gerando um verdadeiro desequilíbrio financeiro, que tem repercussão de ordem moral e enseja indenização a titulo de danos morais.

No processo n° 0000821-98.2019.8.04.3801, a Prefeitura de Coari não comprovou o pagamento de verbas salariais correspondente ao 13° salário a que tem direito a servidora, e entendeu-se que pelo tempo de espera daquele ano até o presente data, deve-se concluir pela condenação do Município, ao pagamento de indenização a titulo de danos morais, não apenas para indenizar o trabalhador pela inadimplência, mas para que sirva de exemplo para que outros fatos da mesma natureza não se repitam.

O Município de Coari recorreu da decisão do juiz de primeira instância, e em recurso de apelação, teve seu pedido negado pelo Tribunal.

Leia a decisão completa

Leia mais

TJAM fixa que método bifásico deve ser usado na reparação de dano por morte de preso

Nos autos do processo nº 0698403-66.2020.8.04.0001, a Corte de Justiça do Amazonas concluiu que a morte de preso sob a custódia do Estado importa...

Licença para prêmio não gozado deve ser convertida em pecúnia, diz TJAM

O Tribunal de Justiça do Amazonas tem como pacífico o entendimento de que seja possível a conversão em pecúnia de licença prêmio não gozada...

Mais Lidas

Justiça do Amazonas garante o direito de mulher permanecer com o nome de casada após divórcio

O desembargador Flávio Humberto Pascarelli, da 3ª Câmara Cível...

Diagnóstico unilateral sobre medição de contadores pela Amazonas Energia é vexatório a consumidor

A concessionária de energia elétrica Amazonas Energia não pode...

Homem que ofereceu carona e estuprou adolescente a caminho da escola em Barreirinha-Am é condenado

Nos autos do processo nº0000395-28.2018.8.04.2700, Josinaldo Souza Teixeira recorreu...

Últimas

Juiz deve ser flexível com exigência do laudo médico para ação de interdição, diz STJ

A função do laudo médico exigido para ajuizamento da ação de interdição é fornecer indícios da plausibilidade do pedido...

Pleno do TCE-AM julga contas de Arthur Virgílio Neto e outros 98 processos nesta quinta-feira (9)

O Pleno do Tribunal de Contas do Amazonas (TCE-AM) se reúne em sessão especial nesta quinta-feira (9), às 9h,...

Cejusc Cível realiza mutirão para instrução processual em ações previdenciárias em Itacoatiara

O Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), por meio do Centro Judiciário de Solução de Conflitos (Cejusc Cível) está...

STF confirma competência da justiça estadual para julgar empresário por corrupção ativa

Por maioria de votos, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) declarou a competência da primeira instância da...