Desconsideração da personalidade da pessoa jurídica é medida excepcional, firma TJAM

Desconsideração da personalidade da pessoa jurídica é medida excepcional, firma TJAM

Não havendo demonstração de desvio de finalidade e o cumprimento dos respectivos requisitos para se atender a pedido de desconsideração da personalidade de pessoa jurídica, especialmente por não ter ocorrido confusão patrimonial, não há razão para a medida excepcional decidiu a Terceira Câmara Cível do Tribunal do Amazonas nos autos do processo de Agravo de Instrumento em que foi Recorrente T.E.I contra B.C.C.C, em julgamento que foi Relatado pelo Desembargador Abraham Peixoto Campos Filho.

A circunstância de que o interessado não tenha localizado bens da pessoa jurídica requestada nos autos, bem como a informação de que a mesma não procedera à declaração de imposto de renda não se constituem em motivos jurídicos que propiciem a acolhida de pedidos dessa natureza, declarou o julgado. 

Nos autos se pretendeu a responsabilização da pessoa dos sócios ao fundamento de que houve o encerramento irregular da empresa agravada, ao também fundamento de que não se providenciara a devida liquidação para a satisfação do passivo da pessoa jurídica. O julgado firmou que a impossibilidade de localização de bens à penhora e a dissolução irregular e ilegal não permitem, por si só, a aplicação da desconsideração pretendida. 

Segundo a Câmara Cível é indispensável a demonstração específica da prática objetiva de desvio de finalidade ou de confusão patrimonial, o que, no caso específico, não se poderia concluir. A desconsideração da personalidade jurídica é medida excepcional, devendo ser aplicada apenas quando presentes os requisitos do artigo 50 do Código Civil, arrematou a decisão.

Leia o acórdão

Leia mais

Liminar suspende execução de Medição Centralizada da Amazonas Energia

A circunstância de que seja concessionária de serviço público, especialmente na prestação de produto essencial de energia elétrica  da Amazonas Energia, e, na conclusão...

A concessão de Habeas Corpus de ofício pelo TJ/Amazonas exige flagrante ilegalidade na prisão

A concessão de Habeas Corpus de ofício pelo Tribunal exige que seja constatada a flagrante ilegalidade na constrição cautelar daquele que foi privado de...

Mais Lidas

Justiça do Amazonas garante o direito de mulher permanecer com o nome de casada após divórcio

O desembargador Flávio Humberto Pascarelli, da 3ª Câmara Cível...

TJAM: União Estável proporciona direito a pensão por morte do companheiro sobrevivente

Em matéria de direito previdenciário nos autos do processo...

Diagnóstico unilateral sobre medição de contadores pela Amazonas Energia é vexatório a consumidor

A concessionária de energia elétrica Amazonas Energia não pode...

Últimas

TRF1 diz que cabe ao Poder Público o fornecimento de insumos para terapia com óleo de Cannabis

Óleo derivado da Cannabis deve ser fornecido pelo Poder Público em terapia de uma paciente acometida de doença neurodegenerativa...

Bolsonaro deve se defender em 2 dias da acusação de ter feito campanha antecipada

Na última segunda-feira (17/1), o ministro Alexandre de Moraes, na condição de membro do Tribunal Superior Eleitoral, determinou a citação do...

Em Goiás, mulher que encontrou corpo estranho em molho de tomate será indenizada

Goiás  - O juiz Carlos Gustavo Fernandes de Morais, do Juizado Especial Cível da comarca de Luziânia-GO, condenou a...

Vítima de acidente de trânsito no DF deverá ser indenizada por danos materiais e morais

Distrito FederalJuiz do 1º Juizado Especial Cível de Taguatinga condenou a proprietária e o condutor de um veículo e...