Causas contra o Estado do Amazonas com valor inferior a 60 salários é de competência dos juizados

Causas contra o Estado do Amazonas com valor inferior a 60 salários é de competência dos juizados

Nas ações contra a Fazenda Pública do Estado do Amazonas e que não versem sobre direitos ou interesses difusos e coletivos, nem sobre causas sobre bens imóveis, muito menos sobre a impugnação da pena de demissão imposta a servidores públicos, a competência do juízo para o processo e julgamento da causa será do Juizado Especial da Vara da Fazenda Pública Municipal, especialmente quando a demanda conter valores aquém do limite estabelecido na lei regente que prevê valores inferiores a 60 salários mínimos, como vetor para firmação da competência dos juizados. A decisão veio como solução de conflito de competência suscitado entre o juízo de direito da 2ª. Vara da Fazenda Pública e o Juizado Especial da Fazenda Pública Municipal, nos autos do processo 0696855-06.2020, julgado pelas Câmaras Reunidas do Tribunal de Justiça do Amazonas.

A lei que criou os Juizados Especiais da Fazenda Pública no âmbito dos Estados e dos Município determina que os juizados devem processar e julgar causas em que estados e municípios são réus e que não ultrapassem 60 salários mínimos, objetivando a mais rápida tramitação.

Por meio dos Juizados, as partes poderão protestar contra lançamentos fiscais, como IPTU, por exemplo, ou anular multas de trânsito indevidamente aplicadas. Nos autos apreciados pelo TJAM, razão do conflito entre os dois juízos, julgou-se a competência do juízo suscitado – o juizado especial- para o processo e julgamento da causa ante o valor inferior a 60 (sessenta) salários mínimos. 

“No caso em análise, não há qualquer fato que exclua a competência do Juízo Suscitado, tendo em vista que a ação originária em questão não versa sobre direitos ou interesses difusos e coletivos, nem sobre causas sobre bens imóveis, muito menos sobre a impugnação da pena de demissão imposta a servidores públicos”.

Leia o acórdão

Loader Loading...
EAD Logo Taking too long?

Reload Reload document
| Open Open in new tab

Baixar arquivo [174.98 KB]

Leia mais

No Amazonas, beijos na boca de criança sugerem estupro de vulnerável e não importunação sexual

Pedro Silva de Braga foi denunciado pelo Ministério Público de São Gabriel da Cachoeira pela prática do crime de estupro de vulnerável porque praticou...

Surdez unilateral não concede vaga em concurso a pessoa com deficiência no Amazonas

O portador de surdez unilateral não se qualifica como pessoa com deficiência para o fim de disputar as vagas reservadas em concursos públicos assim...

Mais Lidas

Justiça do Amazonas garante o direito de mulher permanecer com o nome de casada após divórcio

O desembargador Flávio Humberto Pascarelli, da 3ª Câmara Cível...

Professora de Manaus ganha direito a indenização por contrato temporário que excede prazo de 2 anos

Nos autos do processo nº 0665343-39.2019.8.04.0001 que tramitou na...

Gratificação de motorista de viatura Militar no Amazonas se aplica ao soldo, decide Tribunal

Nos autos do processo nº 0244691-47.2011, em julgamento de...

Últimas

Em Santa Catarina, homem é condenado por desacato ao ofender enfermeira através das redes sociais

O Tribunal de Justiça de Santa Catarina condenou um homem a seis meses de detenção, em regime semiaberto, por...

Dano moral a mulher que, barrada na alfândega por Covid, teve mala extraviada em Roma

Uma mulher que teve sua bagagem extraviada após não conseguir entrar na Itália, em face das restrições impostas pela...

Conselheiro do TCE-AM vai ministrar palestra em curso promovido pelo TJAM

O conselheiro-ouvidor do Tribunal de Contas do Amazonas (TCE-AM), Érico Desterro, participará do ciclo de palestras promovido pela Escola...

No Amazonas, beijos na boca de criança sugerem estupro de vulnerável e não importunação sexual

Pedro Silva de Braga foi denunciado pelo Ministério Público de São Gabriel da Cachoeira pela prática do crime de...