​Conselheiro Érico Desterro assume presidência do Tribunal de Contas do Amazonas

​Conselheiro Érico Desterro assume presidência do Tribunal de Contas do Amazonas

Na presença de familiares, servidores da Corte de Contas e autoridades locais e nacionais, o conselheiro Érico Desterro assumiu, nesta terça-feira (21), a presidência do Tribunal de Contas do Amazonas (TCE-AM) para o biênio 2022/2023. Em solenidade realizada no auditório do TCE-AM e transmitida ao vivo pelas redes sociais do Tribunal também foi empossado o novo corpo diretivo do Tribunal.

Ao falar sobre os desafios em sua gestão, antes de dar posse ao novo presidente da Corte de Contas, o conselheiro Mario de Mello destacou os resultados obtidos mesmo em um cenário tão difícil provocado pela pandemia.

Em pronunciamento em nome do Pleno do TCE-AM, o recém-empossado corregedor da Corte de Contas, conselheiro Ari Moutinho Júnior, destacou os feitos de Érico Desterro no Tribunal, bem como seu currículo no cenário jurídico e acadêmico.

Novo presidente da Corte

Ingresso no TCE-AM em 1999, ainda como procurador do Ministério Público de Contas, o conselheiro Érico Desterro passou a integrar o quadro de conselheiro da Corte de Contas em 2006.

Foi presidente do Tribunal em 2012 e 2013. No biênio 2008-2009 ocupou o cargo de corregedor-geral, e no seguinte (2010-2011), foi vice-presidente. O conselheiro ainda esteve na coordenação da Escola de Contas Públicas, nos anos de 2014 e 2015.

Além da celeridade no julgamento de processos e ações realizadas no tempo em que esteve na presidência da Corte, o conselheiro Érico Desterro se destacou frente aos projetos da Ouvidoria, sob sua coordenação por três biênios (2008-2009, 2018-2019, e 2020-2021). Transformando a Ouvidoria do TCE-AM em referência para os órgãos públicos do país, realizou eventos, programas de capacitação e garantiu a aproximação com a sociedade que possibilitou grande avanço da participação social na fiscalização pública.

Corpo diretivo

Ainda na solenidade, o novo Corpo Diretivo da Corte de Contas foi empossado para o biênio 2022/2023. Foram empossados a conselheira Yara Lins dos Santos, na vice-presidência; o conselheiro Ari Moutinho Júnior, na corregedoria; o conselheiro Josué Cláudio, na ouvidoria, e o conselheiro Mario de Mello, na coordenação da Escola de Contas Públicas (ECP).

Todos os empossados foram eleitos pelo Pleno em eleição realizada no último dia 16 de dezembro.

Na primeira sessão plenária de 2022, marcada para o dia 18 de janeiro, devem ser eleitos, ainda, os conselheiros que irão presidir a Primeira e a Segunda Câmara do TCE-AM.

Fonte: Asscom TCE-AM

 

Leia mais

Trabalho informal não retira de idoso no Amazonas direito de receber benefício do INSS

Em ação que objetivou a concessão de benefício social regulado pelo LOAS - Lei Orgânica da Assistência Social, o idoso Waldir Rebelo de Moraes,...

Intranquilidade e instabilidade social causadas pelo crime impõe prisão preventiva, fixa TJAM

O fato do agente do crime ostentar maus antecedentes, reincidência, atos infracionais pretéritos, inquéritos ou mesmo ações penais em curso demonstram não apenas o...

Mais Lidas

Últimas

Trabalho informal não retira de idoso no Amazonas direito de receber benefício do INSS

Em ação que objetivou a concessão de benefício social regulado pelo LOAS - Lei Orgânica da Assistência Social, o...

Vacinação de crianças é garantia constitucional, diz conselheiro do CNJ

A garantia constitucional dos direitos fundamentais de crianças e adolescentes, incluindo o direito à vacinação contra a Covid-19, será...

Órfãos de vítimas de feminicídio têm apoio da Defensoria Pública no Amazonas

Em 2017, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) concluiu que o Amazonas era o terceiro estado com maior proporção...

Intranquilidade e instabilidade social causadas pelo crime impõe prisão preventiva, fixa TJAM

O fato do agente do crime ostentar maus antecedentes, reincidência, atos infracionais pretéritos, inquéritos ou mesmo ações penais em...